Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Projeto Ciência e Tecnologia

Um olhar sobre a história das políticas públicas brasileiras voltadas para o Esporte e o Lazer nos revela o predomínio de uma concepção de gestão de natureza predominantemente empírica, dando expressão sincrética ao conhecimento da dimensão da realidade sobre a qual a política estaria incidindo, fazendo com que aquilo que deveria se colocar como ponto de partida no processo de conhecimento da realidade complexa se configurasse, de fato, também e ao mesmo tempo, como ponto de chegada.

Mais recentemente, com o próprio desenvolver da Educação Física brasileira em sua forma acadêmica - maior responsável pelos estudos e pesquisas sobre o fenômeno esportivo e do lazer - e pela paralela organização da comunidade de estudiosos e pesquisadores dessas práticas sociais em entidades científicas, procedeu-se um movimento reorientador da lógica de gestão até então prevalecente.

Esse movimento foi motivado, ainda, pela sintonia com a necessidade, cada vez mais reconhecida, dos partidos políticos com aspiração de ascensão a instâncias de governo, por um lado, e da necessidade concreta de administrarem a máquina pública notadamente nas esferas municipais e estaduais, de outro, de se colocarem em campo na formulação de pressupostos orientadores de políticas públicas para o setor, a par do que já acontecia em outras áreas sensíveis à lógica da gestão pública.

Tal quadro fez por suscitar uma fundamental mudança na forma de se apreender a realidade sobre a qual se daria a intervenção, passando-se a compreendê-la de forma não mais embasada no senso comum e, sim, no senso crítico, não mais expressando uma visão sincrética de mundo e, sim, de síntese.

Para que tal alteração na apropriação da realidade ocorresse, foi de extrema relevância o assimilar da compreensão de se ter o conhecimento científico e tecnológico como eixo estruturante da ação de gestão pública em esporte e lazer em nosso País.

É, portanto, o conhecimento elaborado e sistematizado a partir de matizes filosófico-científicas, o pano de fundo sobre o qual devem se assentar os Programas deste Governo afetos a este Ministério, expressões da materialização da compreensão de política esportiva e de lazer desde 2003 em processo de implementação.

Buscando interlocução com grupos de pesquisa instalados - consolidados e/ou em consolidação – vinculados, especialmente, a instituições de ensino superior e com estudos balizados por referenciais teóricos originários das ciências humanas e sociais (Rede CEDES - Centro de Desenvolvimento de Estudos do Esporte Recreativo e do Lazer) e das ciências biológicas (Rede CENESP - Centro de Excelência do Esporte de Rendimento) estabelece-se, nesta esfera de governo, a formatação de REDES constitutivas de pólos facilitadores do diálogo entre os segmentos envolvidos no processo de produção do conhecimento e, destes, com aqueles que se valerão do conhecimento produzido, na ação de gestão, tendo ela mesma também como pólo produtor e irradiador de conhecimento.

Tais estudos e pesquisas estão orientados a partirem de uma compreensão - construída e compartilhada pelos segmentos mencionados - de desenvolvimento e excelência esportiva fundados na qualidade de metodologias de educação esportiva, educação lúdica, teoria e prática do treinamento esportivo, avaliação de políticas públicas de esporte e lazer, protocolos de monitoramento da execução dos projetos, capacitação de gestores em gestão esportiva e lazer, entre outras possibilidades afins.

No sentido da difusão da produção do conhecimento afeto ao campo das políticas de esporte e lazer, o Ministério do Esporte vem exercendo o papel de articulador dos setores comprometidos com informação e documentação esportiva de modo a fazê-los interagir de forma a não sobreporem esforços e recursos, dando vazão a um encadeamento de iniciativas que preservem, ao mesmo tempo, a especificidade da ação de cada um dos entes envolvidos com a sua necessária intercomunicação.

O envolvimento pelo Ministério do Esporte, dos Centros de Informação e Documentação Esportiva estabelece, ainda, as linhas de ação para a composição de um sistema nacional formado pelos centros existentes e pelos a serem criados, de modo a garantir um padrão de comunicação de qualidade aos pesquisadores, gestores e demais usuários.

Este sistema nacional de informação e documentação esportiva, através do CEDIME (Centro de documentação e Informação do Ministério do Esporte), na evolução de suas atividades, além de democratizar o acesso à informação e documentação alusivas ao esporte e ao lazer, constrói as diretrizes para uma política nacional de informação e documentação em Ciências do Esporte.